Mais Lidas

Duas pessoas foram feridas em ataque com faca próximo à antiga redação do Charlie Hebdo, em Paris

Revista vinha recebendo novas ameaças após republicar caricaturas de Maomé no início do mês; motivação do ataque ainda não foi esclarecida

Ataque com faca deixou dois feridos próximo à antiga sede do Charlie Hebdo
Ataque com faca deixou dois feridos próximo à antiga sede do Charlie Hebdo -
Duas pessoas foram feridas por um ataque com faca em Paris nesta sexta-feira, perto da antiga redação do Charlie Hebdo. Os dois feridos estão em situação muito grave, de acordo com a polícia de Paris, que conseguiu deter o suspeito. A motivação do ataque ainda não foi esclarecida.

Galeria de Fotos

Ataque com faca deixou dois feridos próximo à antiga sede do Charlie Hebdo AFP
Ataque com faca deixou dois feridos próximo à antiga sede do Charlie Hebdo AFP
Homenagem a membros do Charlie Hebdo mortos em atentado terrorista de 2015 AFP
Ataque com faca deixou dois feridos próximo à antiga sede do Charlie Hebdo AFP
Ataque com faca deixou dois feridos próximo à antiga sede do Charlie Hebdo AFP
Ataque com faca deixou dois feridos próximo à antiga sede do Charlie Hebdo AFP
A agressão coincide com o julgamento do atentado de 2015 contra a redação da revista.
Ameaças
A revista satírica Charlie Hebdo recebeu novas ameaças da Al-Qaeda depois que publicou no início do mês - por ocasião do início do julgamento pelo atentado de janeiro de 2015 - as caricaturas de Maomé que transformaram a redação do semanário em alvo dos terroristas há cinco anos.
As ameaças "constituem uma verdadeira provocação em pleno julgamento dos atentados de 2015", afirmou o diretor da publicação, Riss, à AFP.
Ele disse que as ameaças "vão além do Charlie Hebdo porque apontam para toda a mídia e inclusive o presidente da República".
"Graças a uma mobilização histórica dos meios de comunicação franceses, que publicam em conjunto esta carta a nossos concidadãos, desejamos enviar uma mensagem potente para defender nossa concepção da liberdade de expressão e, além, da liberdade de todos os cidadãos franceses", afirmou o diretor do Charlie Hebdo, que publica a carta na capa da revista na edição desta quarta-feira.
O julgamento do atentado de 7 de janeiro de 2015, que deixou 12 mortos, incluindo jornalistas e caricaturistas do Charlie Hebdo, acontece atualmente em Paris e deve prosseguir até 10 de novembro.
Na terça-feira, uma diretora da revista, Marika Bret, revelou que foi obrigada a abandonar sua residência depois de receber ameaças de morte que a polícia considerou verossímeis.